Então fui por aí

O que eu queria, mas o que eu queria mesmo, era ter sido atriz… ou cantora ou… não sei. Sei que queria ser artista de palco, daquelas que entram em cena e provocam nos espectadores a sensação de que alguém do seu círculo de amigos acabou de chegar. Aquela pessoa que gostamos tanto de ouvir, que até nos esquecemos de que ela não nos conhece.

Nasci bonita, tenho boa figura, mas depois houve aqui qualquer coisa que falhou… Falta de talento? Não creio. Insegurança? Talvez. Não acreditar pode ter efeitos incontroláveis.

Mas não tenham pena de mim. Sou professora. Artista de um outro palco, com um público participativo e que me dá muito alegria. Cuido da minha imagem. Não entro na sala de aula sem me certificar de que não tenho um cabelo fora do sítio.

Depois o espetáculo começa. E o seu verdadeiro sucesso só poderá ser avaliado uns anos mais tarde.