Capítulo 1

Espreitava pela janela dezenas de vezes. Em dias mais agitados, até cansava o corpo de tanto ir e voltar do parapeito que dava para a rua principal. Mas era mais forte do que ele. O Sr. Clemêncio tinha nascido bisbilhoteiro e não via nisso mal algum. Autointitulava-se um estudioso do quotidiano das gentes, aliviando deste modo a consciência quando alguém lhe dizia que não era bonito meter o bedelho na vida dos outros.

Depois da reforma, até arranjara um caderno a que dera o pomposo título “Cenas Inesquecíveis dos Dias”. Quando o sol deixava a rua do Sr. Clemêncio, ele largava imediatamente o que estava a fazer – mesmo que fosse o jantar – e sentava-se na mesinha ao canto da sala. Depois, acendia o candeeiro de mola e ficava ali a escrever o que acontecera debaixo do sol e que, no seu entender, era digno de registo. Assim gastava os dias.